Bem-vindos!!!!

Este blog foi criado para professores de 4º e 5º ano que encontram dificuldades para achar atividades. Algumas são criadas por mim e outras selecionadas dos grupos que participo. Se alguma atividade é de sua autoria me escreva para que dê os devidos créditos. Revise o conteúdo antes de utilizar.

quinta-feira, 11 de novembro de 2010

Cordel

O MEU SERTÃO AGRADECE A CHUVA QUE DEUS MANDAR

O nordeste está sofrendo
Seco sem água e sem planta
O campina já nem canta
O gado não está comendo
As plantas estão morrendo
Dá vontade de chorar
Só Deus pra nos ajudar
E ouvir a nossa prece
O meu sertão agradece
As chuvas que Deus mandar.

A terra fica doente
Fica a vida ameaçada
Gado morto na estrada
Chega dá pena na gente
O sertanejo carente
Vê a seca arrochar
Quem come do que plantar
Baixa a cabeça e faz prece
O meu sertão agradece
As chuvas que Deus mandar.

Quem só vive do roçado
É triste a situação
Se não plantar não tem pão
Pra dar ao filho coitado
O cabra fica apertado
Vendo seu filho chorar
Sem nada ter pra lhe dar
O sertanejo padece
O meu sertão agradece
As chuvas que Deus mandar.

Porém a seca obriga
O camponês apelar
Resolve então viajar
Pra se salvar ele briga
Sua família ele abriga
Bem longe do seu lugar
Mas se a chuva voltar
Diz ele à família a prece
O meu sertão agradece
As chuvas que Deus mandar.

Mesmo estando na cidade
Quando escuta alguém dizer
Que já começou chover
Lhe bate logo a vontade
Já lhe aumenta a saudade
E resolve então voltar
Pensando logo
em plantar
Diz Deus
ouviu minha prece
O meu sertão agradece
As chuvas que Deus mandar.

Vem na primeira viagem
Era o que ele mais queria
A família com alegria
Ele cheio de coragem
Chega e ver outra paisagem
A asa branca a cantar
O verde, o gado a pastar
Com água tudo enriquece
O meu sertão agradece
As chuvas que Deus mandar.

Ver os rios transbordando
A mata verde e frondosa
Ho! Que paisagem mimosa
O gado gordo pastando
A passarada cantando
O milho a pendoar
Já tem feijão pra apanhar
O sertanejo envaidece
O meu sertão agradece
As chuvas que Deus mandar.

É esta a maior riqueza
Que se vê no meu sertão
Pois a maior ambição
Não é jóia e nem nobreza
Apenas que a natureza
Viva pra nos ajudar
Que Deus possa abençoar
E da gente não se esqueça
Pra que o sertão agradeça
A chuva que Deus mandar.

Francisco Rariosvaldo de Oliveira

INTERPRETAÇÃO DE TEXTO
         Neste bimestre aprendemos que a literatura de cordel foi trazida para o Brasil pelos colonos portugueses e se tornou uma forte tradição, principalmente na Região Nordeste. Agora responda:

         1- Por que os poemas recebem o nome de cordel?
         2- Quantas estrofes e quantos versos há neste poema?
         Estrofes _____________________________
         Versos _______________________________
         3-Qual foi o tema escolhido pelo cordelista do poema O meu sertão agradece a chuva que Deus mandar? Qual você acha ter sido o motivo para esta escolha?
         4- Como você imagina que seja a realidade vivida pelo autor do poema? O que você
sobre o nordeste?
         5-  Explique com suas palavras o que você entendeu do cordel de Francisco Rariosvaldo de Oliveira. Dê sua opinião sobre o poema.

3 comentários:

  1. BOM, PORÉM ESTOU PROCURANDO MAIS FÁCIL

    ResponderExcluir
  2. Muito bom,gostaria de que no seu site tivesse peças teatrais.

    ResponderExcluir
  3. Achei interessante esse blog. Tanto que aproveitei vários texto e inclusive o cordel com a interpretação.
    Parabéns pelo trabalho bem realizado.
    Leila Brito

    ResponderExcluir

Deixe aqui seu comentário, é muito importante!!!